>

VELHO

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

O quê é, na verdade,

Ser velho, velho mesmo?

É viver com saudade,

Caminhar a esmo?


É tossir um pouco,

Todo santo dia?

É ficar rouco,

Defendendo uma utopia?


Ou será que é ter

Netos, bisnetos, trisnetos?

Será que é, na vida, haver

Realizado tantos projetos?


A chegada da impotência,

Seja ela qual fôr?

Ou a grande paciência,

Diante da mais triste dor?

Será que é a memória,

Que falha de quando em vez?

Ou dar a mão à palmatória,

Ao contemplar a própria nudez?


É ter direito à fila especial,

Somente entre os pares?

Ou é não ser mais o tal,

Imune a todos os azares?


É saber ficar calado,

Quando não se tem o quê dizer?

É passar o dia sentado,

Deixando o tempo acontecer?

Saber que a vida se esvai,

Cada dia um pouquinho mais?

Saber que o corpo trai,

Sejam quais forem as credenciais?


Será que é mover-se

Em cadeira de rodas?

Será que é manter-se

Alheio a todas as modas?


Não, ser velho

Não é nada disso.

Como diz o Evangelho:

É o supremo compromisso.


Que não é lutar pela vida,

Não é depender do SUS.

É, sim, na grande corrida,

Ficar, para apagar a luz.

Voltar