>

ONDE ESTÃO?

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Onde estão aquelas noites gostosas,

Do 3º Uísque, Arabesque e Girassol?

E outras tantas casas famosas,

Onde costumava nascer o sol?


Jorge Costa, Zé Domingos, Roberto Luna

E outros tantos iguais?

Era-se rico sem fortuna,

O ser humano valia mais.


Um Old Eight com gelo

Durava a noite inteira.

Era o derradeiro apelo,

Os problemas na soleira.


Um tango perdido na noite,

Cantando tragédias da vida.

E, batendo como açoite,

Espalhava a dor mais doída.


A mesa no mesmo lugar

Dava ao mundo coerência.

O palco era o sagrado altar

Onde se cumpria a penitência.


A conta, pendurada,

Ficava para o fim-do-mês.

A assinatura, largada,

Marca registrada do freguês.


O samba corria rasgado.

Dor, só mesmo a de cotovelo.

Que não carecia de cuidado,

Convite ou maior apelo.


A iluminação, tão pouca,

Não fazia falta, não,

Quando a voz, quase rouca,

Dizia: meu bem, agora não.


Os boêmios tinham nome

E os garçons também.

Pouco valia o sobrenome,

Todo mundo era alguém.


Por volta das quatro

Chegavam as mariposas.

Findara-se o teatro,

Ganharam as esposas.


De repente um gaiato gritava,

No meio daquele breu.

Quase sempre chorava

Dizendo: hoje quem paga sou eu.


Madrugadas com Lupicínio,

Evaldo e Jair.

Permanente o fascínio,

O simples encanto de ouvir.


E você meu irmão

Lucio Cardim.

Não se esqueça, não,

Nunca jamais, de mim.

Voltar