>

OLHAR

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D’Elia

Ah, esse teu olhar,

Profundo, mágico, de fogo.

Não lhe conheço par.

Quais regras desse jogo?


Esse azul-verde infinito,

Que me tira do chão.

Eu, vítima desse delito,

Sem pecar peço perdão.


Atônito me desfaço,

Tonto, perdido e tolo.

Curvo-me à força desse aço,

Sem guarida nem consolo.


Caminho só de ida,

Estrada no deserto.

Luz de minha vida

Que faz do errado certo.


Mistura de paixão e repouso

Doces mentiras e uma verdade,

Que desafiar não ouso:

Você me deu a eternidade.

Voltar