>

MULHER

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

O quê é uma mulher?

Um pedaço de carne que se move?

Uma necessidade, um mister,

Que às vêzes nos comove?


Um berço, um colo, um aconchego?

Uma caverna úmida e quente?

Um mais querer, desassossego

Que quando fala a verdade mente?


Um ser disposto a todos os sacrifícios,

Enfermeira, rameira, secretária, operária?

Um ser com mãos que aliviam suplícios,

Apesar da sempre dupla jornada diária?


Um ser de muitos nomes

Mãe, tias, primas e carpideiras?

Todas geratrizes pelos abdomes,

À exceção das santas freiras.


Um ser de vaidades, caprichoso,

Cheio de si, faminto de olhares?

Um decote indecoroso,

A sereia dos 7 mares?


Um ser para quem

A beleza é fim e não meio?

E ai de quem

Não lhe aprecie o seio.


Um ser de verdades fúteis,

Como a maquiagem de ontem?

Crendo mentiras inúteis

Que por acaso se lhes contem?


Acaso uma forma de ser, um estado,

Onde convivem devassas e santas,

Cada qual abraçada a seu fado,

Se bem que estas não sejam tantas?


Acaso seria um vício, uma tara,

Uma doença qualquer?

Pois quem começa, não para,

Quanto mais tem, mais quer.


Mulher não se define,

Mulher se abraça e beija.

Portanto, não pertine

Definir quem ela seja.


Toda mulher é sempre muito mais

Que um terno e tentador sorriso,

Pois é no berço dos seus ais

Que se encontra nosso paraíso.

Voltar