>

MORTE 2

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Ninguém é jovem demais para morrer.

A morte aceita a todos.

Pouco, quase nada a se fazer,

Sobre o apôdo dos apôdos.


A morte é um acidente fatal,

De que é impossível escapar.

Não há nada que lhe seja igual,

Desnecessário procurar.


Será dela a última palavra?

Será a vida mero enfeite?

Escudado em boa lavra,

Há quem não o aceite.


Por fé, convicção ou teimosia,

Preferem vê-la apenas como ida.

Mas, passarinho na muda não pia

E, o pior de tudo, é morrer em vida.

Voltar