>

DESENCANTOS

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Vou contar uma história

Que não aconteceu.

Brincar com a memória

De quem por amor sofreu.


Eu tinha catorze anos

E ela por aí também.

Em delírios freudianos,

Julguei ser alguém.


Princesa de andar real,

Eu, tímido e envergonhado.

Para o bem e para o mal,

Fui depressa conquistado.


Cabulando a última aula,

A turma toda foi ao cinema.

Meus olhos, só de Paula,

Minha flor, meu poema.


Foram todos entrando,

Até que o porteiro me parou.

Documento – disse, me olhando,

E o meu sonho ali se findou.

Faltava um único dia

Para o meu aniversário.

Sorriram todos, em sintonia,

Nenhum correligionário.


Quarenta anos passados,

Numa festa de amigo,

Aqueles olhos azulados

Cruzaram de novo comigo.


Quase não a reconheci,

Minha princesa de outrora.

Não acreditei no que vi,

Achei melhor ir embora.


Os cabelos sem viço,

O pescoço uma ruga só.

Vai ver foi por isso,

Que me deu pena, dó.


Quando a mulher perde beleza

Seus encantos se vão, somem.

Pensando bem, tenho certeza:

Deus só pode ser homem.

Voltar