>

DECEPÇÃO

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Tão gostoso e confortável,

Toda quinta, depois das cinco.

Ela, sempre tão afável,

E vestida só de brinco.


Digo brinco porque era um só,

De tão econômica que ela era.

O apartamento era da avó,

Ali, no comêço da Anhanguera.


Nunca quis dinheiro,

Só aceitava presentes.

Sempre o mesmo roteiro,

Detestava coisas diferentes.


Devagarinho fui me apegando,

Assim como quem sabe, mas faz.

De repente, nem sei quando,

Era freguês, e contumaz.


Tentei ir às segundas, também,

Mas ela, dengosa, disse:

- Tá ocupada, meu bem,

Mas te deixo como vice.


O tempo foi passando, passando

E cada vez eu gostava mais.

Na verdade, tinha perdido o mando:

Queria mais é conhecer os pais.


Cheguei a pensar numa conversa séria.

Pra falar a verdade, até em casamento.

Não sei se falei o nome, Maria Quitéria,

Razão maior de meu encantamento.


Criei coragem e decisão:

Comprei anel de noivado.

Era muito mais que só tesão

E lá fui num feriado.


Subi as escadas devagar

Com o coração saltando no peito.

Eu sabia o que falar

E só aceitaria uma resposta: Aceito!


Quando cheguei à porta,

Havia um bilhete colado.

Dizia: Na vida o quê importa

É saber viver, haver brincado.


Enfiei a viola no saco

E fui saindo de mansinho.

Não dá pra ser fraco

Ainda mais na frente de vizinho.

Voltar