>

BOCA

Autor:

Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

A chuva caindo devagar

E eu alí tão infeliz.

De que adianta negar?

Ficou uma enorme cicatriz.


O começo foi banal:

Eu só queria sexo.

Mas, Deus, o final

Não teve nenhum nexo.


Ela não chegava a ser bonita,

Nem mesmo inteligente.

Mas aquela boca maldita

Era pra lá de indecente.


O sorriso me derretia

Em qualquer circunstância.

Quanto mais eu fingia,

Maior ficava a importância.


Os dentes tão brancos,

Como teclas de piano.

Meu coração, aos solavancos,

Cada vez mais e mais insano.


As palavras em sussurro

Eram melodia inesquecível.

Me faziam quase burro

De tão atento e sensível.


Ela modificou meu caminho,

Tão a prazo que ficou à vista.

Foi por causa de meu anjinho

Que me transformei em... dentista.

Dê o play para ouvir o áudio

Voltar