NOTAS

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

Janela tola e triste

Que esconde de mim o sol.

Brincadeira, quase chiste,

Sustenido ao invés de bemol.


Pássaros como colcheias,

Voando como um só.

Castelo sem ameias

Que me fere sem dó.


Seria tão bom estar lá,

No entanto estou aqui.

Meu coração me diz: vá,

Saia um pouco de si.

Sonhar é ir pra frente,

Ninguém anda de ré.

A vida às vezes mente,

Transforma-se em galé.


No alfabeto grego

A décima segunda é mi.

Quanto mais perto chego

Mais longe estou de ti.


Que me ajude Fá, meu Orixá,

E sempre me proteja.

Rogo, então, a Iemanjá:

Amem, que assim seja.

Voltar