MARIANA

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

Mar de lama,

Mar de Mariana.

Uma tragédia, um drama.

Tem que acabar em cana.


Mártires e mortos.

Vários desaparecidos,

Por caminhos tortos

E sem nenhum sentido.


Rio Doce que ficou amargo

Com o choro da natureza.

Coube-lhe o triste encargo

De servir lama à mesa.


Onda triste de dor,

Sujando a paisagem.

O contrário do amor,

Capitalismo selvagem.


Quanto vale a morte

De um enterrado vivo?

Qual foi a má sorte

De que ficou cativo?


Não pode passar em branco,

Não dá pra ignorar a afronta.

Quem descuidou do barranco

Tem que pagar a conta.


Mar de lama,

Mar de Mariana.

Uma tragédia, um drama.

Tem que acabar em cana.

Voltar