FOTOGRAFIA

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

Em branco e preto,

A tua fotografia

Parece soneto

À luz do meio-dia.


Você não morreu, não,

Só voltou pro céu.

E me deixou a lição

De não viver ao leu.


Cada dia foi mágico

E muito te agradeço.

Seria quase trágico

Não haver nem começo.

Fui fraco, reconheço.

Mas o amor é covarde,

Nem sempre paga o preço,

Deixa pra mais tarde.


O teu amor me assustou,

Fui empurrando, empurrando.

O tempo passou

E a vida foi andando.


Perdoe, por favor.

Fui tão sem-jeito,

Tão sem-jeito, meu amor,

Que perdi-me o respeito.

Voltar