ESTAÇÃO

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

O trem da vida

Foi andando, foi andando.

Nos trilhos, a corrida,

Passou assim, quase voando.


As estações, tantas,

Mas sempre parada pouca.

Um aperto nas gargantas

E de novo a corrida louca.


Embarque e desembarque,

Inícios e finais.

Algumas um parque,

Outras quase banais.


Tanta gente no trem,

Cada um em seu assento.

Tão difícil saber quem

Não perdeu mesmo o alento.


Vizinhos de banco e vagão

Vão saindo e não voltam.

Saudade no coração,

Alguns se revoltam.


Mas a viagem é assim mesmo,

No tempo rumo ao futuro.

Alguns se perdem e, a esmo,

Abraçam o lado escuro.


Chegou a minha estação.

Um último olhar a paisagem.

Lenço branco na mão,

Começa outra viagem.

Voltar