EMPRÉSTIMO

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

Não empresto mais dinheiro,

Nem que a vaca tussa.

Não fui nem o primeiro,

Mas vesti a carapuça.


Era amigo de vinte anos,

Não podia dizer não.

Já levei alguns canos

E não fugi da situação.


Tirei logo da poupança,

Ele estava no sufoco.

Quem empresta dança,

Acaba sempre no toco.


Mas o pior foi o destino

Que ele deu ao dinheiro:

Posando de grã-fino,

Alugou belo veleiro.


Foi passear na Guanabara,

Comendo caviar de colher.

Moço fino, uma jóia rara,

Levou também minha mulher.

Voltar