CORRETAGEM

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

Vou vender minha tristeza

E comprar só alegria.

Talvez um pouco de beleza,

Que não passa de bijuteria.


Do bom também se enjoa,

Certos ruins deixam saudade.

Não existe o mal à toa,

Nem bem que nunca se acabe.


Algumas boas ações

Também caem de preço.

São como as monções:

Fortes, mas sem endereço.

Nos mares dos amores vãos,

Não há quem saiba nadar.

Tão iguais os sins e os nãos,

Ninguém pode adivinhar.


Judiar de vez em quando

Não há quem esteja safo.

Ando bem admirando

Quem sabe descer o sarrafo.


Vou achar quem me ouça,

Estou cansado de sofrer.

Quero viver é da bolsa,

A que gira pra valer.

Voltar