AMOR DE VIOLEIRO

Autores:


Intérprete:

Júlio dos Santos Oliveira Jr.

Paulo D'Elia

Paulo D'Elia

Tudo que vem, às vezes vai.

Tudo que sobe, sempre cai.

Nem tudo que entra, sai,

Quem ama também trai.


Moinho parado não vale.

Montanha alta há quem escale.

Quem tem frio usa xale,

Vizinha feia não há quem cale.


Também não vale boi doente,

Cerveja quente e mulher da gente.

Bom mesmo é boi na invernada,

Cerveja gelada e mulher pelada.

Voltar